quinta-feira, abril 30, 2009

demo rá

Eu pinço a boca
E puxo o sorriso
Se vou à louça
Prego logo seu bicho
Te empurro e empanturro de dedos,
Te lambuzo e o que for
Desejo.
Se for para ser e será
Te dou logo um beijo
Com esse samba patatá
Menina, menina, meni ná.
Salgada a boca eu enveneno,
Tiro da roupa
E tenho pouco senso.
Sinto a sílaba
Da roça não vista
Que quero me dar.
Demorará, demorará.

Um comentário:

Patrícia Del Rey disse...

Delicia...