segunda-feira, abril 09, 2012

a espera de notícias

Eu não sou deste mundo e conto histórias. Tudo junto e sempre. Canto este pavor.  Mas eu escancaro, me abro. Sou cativeiro, entro e acerto as contas. Eu sou tolo, eu sou, eu sou. Passa gente, simplesmente. Eu sou tão frequente. Voo, voo.  Quando você me encontrar, espero sair deste lugar. Para ser diferente, latente. Esboço uma reação. Ardente. Sente? Sinto e volto para casa, meus olhos estão irritados. Eu ainda não consigo gritar. Essa coisa de provocar não dá. Não falem comigo, eu posso entender o castigo. O que está engasgado em minha garganta? Todo corpo explode, este é meu talento. Vou gritar, vou gritar!