sexta-feira, abril 24, 2009

o meu é crédito, por favor.

Ela começa a bater
E quebra inteira.
Nua, negra
Sem ritma e pistão.
Muda nela
Nada muda
Quase mela
Com sotaque de odor.
Será mesmo a cabeça?
Duas notas, fodeu.
Há alguém à espera.
Trincheira de vozes,
Soco no ar, espírito comum.
Sai do corpo e melo.
Meu corpo branco,
Escova a dentina.
Bailarinas por toda parte,
E soco no escroto.
Para que pesar entre as pernas?
Duas notas, rendeu.
Caído rola entre a boca.
Rosa, rosa, rosa.
Escorre em meus seios,
E perco a memória.
Temo e você teima,
Quem güenta?

3 comentários:

Ana Vera disse...

Gordel, você é muuuuito bom !!
Falta musicar !!
Manda ver !!
PARABÉNS !!
Não se perca de seu talento, ok ?
Beijão
Ana Vera

Anônimo disse...

Gordel, você é muuuuito bom !!
Falta musicar !!
Manda ver !!
PARABÉNS !!
Não se perca de seu talento, ok ?
Beijão
Serena (o meu é crédito também, por favor. mas antes, manda mais dois ponto chic e um punhados da yoki supra-sumo do milho!)

disse...

Ah,que bom! =)

Continue com essa criatividade toda.

E volte sempre ao Ejaculação!

Beijos.