terça-feira, junho 16, 2009

fim boom

O fim já foi.
Confundiu.
O sim.
O fim não tem cheiro,
Retas e nem joelhos.
Dia da semana ou nos seus finais
Tanto faz o fim.
Com ele se começa
E se acaba.
Separa-se e maltrata.
Na boa união
O fim será tempero
Mensageiro, parteiro,
E parte-me.
Posta em si
E sapeca outro não.
Sim,
O fim é assim
Leva para si
A responsabilidade de decidir.
Se sou fim, pouco sei.
Resto pouco no lá.
Não gosto de opinar,
Contudo o fim é bom
Pois já nasce
Em poucas palavras.

5 comentários:

Bell disse...

Lindo! O Paulinho Moska diz: "Vamos começar, colocando um ponto final."
Continue!
bjos
Bell

LUKAZVINI disse...

Cade vez melhor meu amigo.

Anônimo disse...

Então este é o requiem!
Uma amiga uma vez me disse: Vc precisa ser lida; e olha que não tenho um décimo do seu talento (se é que tenho algum). E como se fosse um exercício diário, eu escrevo, e espero que algum dia alguém me leia. Agora eu falo o mesmo para você: Você precisa ser lido. É lindo tudo que vc escreve!
Me apaixonei por você à primeira vista ou lida, se preferir. Li, reli, li mais uma vez em voz alta."Meu Pai" sempre será o meu texto predileto, por inúmeras razões. E através dele, te conheci à distância.
O maior piadista do mundo falou uma vez que o amor é narcisista: amamos as pessoas pelo bem que elas nos fazem. E vc me faz muito bem! Primeiro, porque já não me sentia tão sozinha. Havia encontrado alguém com quem conversar sobre Drummond e meus devaneios linguísticos. Segundo, você despertou em mim algo que nenhuma grande paixão havia conseguido: Um desejo enorme de escrever bem, escrever melhor. Se algum dia eu conseguir, devo isto à você.
Mas, agora você diz que está indo embora. E eu vou sentir Tanto, Tanto, a sua falta. Mas, você não sabe. Você é do mar. Não sabe o que é ficar no cais vendo um barco partir...
Um beijo em você!

Anônimo disse...

Lindo!

Patrícia Del Rey disse...

Em poucas palavras: amo.