sábado, março 13, 2010

chão da praça

A janela e seu eterno barulho.
Sinto sinal e disparadas.
Vou ao além.
Vivo cantando
E buscando conversas no chão.
Prefiro a água do mar.
Janela estufada.
Casa, música, Jobim.
Você falta.
Eu olho, vejo o amor que aí dorme.
Olho para o chão ou para o alto.
Teus cabelos, ah, teus cabelos.
Trabalho por toda parte.
Cheiro que consome o desejo.
Vontade de ser e sentir.
Problema maior de não amor.
tem que dançar a dança?
Eu não sei por que ninguém te disse como ser.
Não nego nosso oceano.
Aconchego e porque não
Meu vício de ser a primeira pessoa.
Eu converso e respiro.
Sinto a leveza de ser você;
Meu único e duradouro amor por aqui.

2 comentários:

Erica Vittorazzi disse...

Ser seguidora e a primeira a comentar, tem as suas vantagens!!!!


Aqui funciona também!!!

Beijo

Srta. Prym disse...

Que coisa triste/linda .