quarta-feira, novembro 06, 2013

o tempo e o fogo

O que você fez com o grão de areia?
Dei-lhe junto com uma cama feita de pedraria.
Sapatilhas feitas a ouro, coral e couro.
Escravizei minhas recompensas para te servir.
O que você fez dona do tempo?
Só desejava ir ao campo, colher as flores do mato para lhe entregar.
Só desejava o sol, os ventos sem saber mesmo o porquê.
Brilhar, brilhar, esplandecer.
Vestida de vermelho escuro, é minha princesa.
Por onde foi em dia de Santa Bárbara?
Com doutores, dançou e evocou movimentos rápidos.
Bebeu o que tinha de mais quente, mordeu um pedaço de chifre.
Entrou sem pedir licença ao rei
E cantou as canções mais ligeiras.
De peito aberto e luz explosiva.
E eu sem presente em meus braços
O que você fez com o grão de areia?
Éramos eu e um cavalo
No seu galope bravio.
Pulando cerca e levando com o peito o arame.
Pisando em pedra moída
Escapando em leito de rio.
Meu alazão agora fugiu
Deixando pedaços de cauda e lenda.
Estou aqui com pé neste chão batido
Esperando o eterno entardecer
Afiando mais uma espada
Para um dia lhe entregar.



Um comentário:

Thaís disse...

R.
Feliz Aniversário!