quarta-feira, outubro 24, 2012

em são paulo nada vence uma carona

É fim do trabalho e começo do dia. Ele desabotoa um botão da camisa, agacha e refaz de maneira grotesca o laço nos cadarços de seu Rainha branco. Pega seu celular mequetrefe e engata seu fone de segunda. Na lista: depois de Black Sabbath vem Black Uhuru. Nada disso, pula para a letra C. Carpenters - Gold - Greatest Hits. Massa. Desce as escadas guiado pelo corrimão. Bate com a aliança de noivado no ferro antigo tentando suingar "Close To You" da banda californiana. Lástima. Desce em pulos para comemorar mais um dia. Menos um botão agora na camisa. Mais vida. Calçada. Passo a passo. Rápido. Tem 3 conduções pela frente. Não consegue dançar com Carpenters. Hora de trocar. Não tocar. Ela aparece. Susto. Ela. Sedutora. Reaparece. Ela que não era vista desde a festa de formatura em Porto Seguro. Ele desejou reencontrá-la por anos. Nunca pararam de trocar mensagens sobre amor, afeto e coleção de papel de carta. Era um carinho enorme. Que bom. Enfim aquele beijo roubado de volta. Aproximam-se. Esguiam-se.... e uma buzina bate ao fundo. É uma colega do trabalho em um pomposo táxi oferecendo carona. Ele sorri e diz para o amor: 'Nos vemos outro dia. Um beijo'. Corre feliz para sua carona noturna. Abre o restante da camisa e sorri feliz por saber que chegará em 40 minutos em seu lar.

2 comentários:

Iris de Oliveira disse...

eu.

Victor Thucomen disse...

Olá...

Estou te seguindo. Gostei do seu blog...

Visite, comente e siga - VICTOR THUCOMEN.